15 de agosto de 2007

Blizzard, eu te amo!

Protoss atacam base de Terrans, em Starcraft 2.


Chegou a hora de sair do armário.

Mesmo sabendo que tal ato de coragem não suscitará especial surpresa em rostos conhecidos - está mais para a audição de frases galvão-buenísticas, como o infame "eu já sabia!" -, tenho de vir a público e dizer que assumo.

Eu sou um nerd. E penso em dar início a uma espécie de ação afirmativa nerd. Por quê não uma bandeira nerd? Por quê não um dia do ano para ser comemorado o Dia do Orgulho Nerd? E por quê não uma Nerd Pride Parade? Vamos mostrar que as minorias - mesmo essa formada de pessoas pálidas de óculos - têm sua força! Um dia, lotaremos a Paulista!

Como todo nerd que se preza, adoro videogames. Sempre gostei. Talvez minha personalidade nerd tenha nascido de uma escolha de meus pais: ganhei um ATARI 2600 de presente aos 5 ou 6 anos de idade. Naquele momento, alguns leques de escolha foram fechados. A partir de então, preferiria movimentar os dedos e grudar o olho na tela a andar de bicicleta ou jogar bola.

No entanto, o mundo definitivamente não era dos nerds nas décadas de 80 e 90 - e, assim, fui desenvolvendo uma certa estratégia de disfarce. Sobrevivência é adaptação, já o pensavam Darwin e Wallace. Então eu deixava de estudar, por exemplo, pois estudar era coisa de nerd. Se fosse muito bem na escola e fizesse todas as lições, todo mundo iria saber que eu era um nerd. E falar que eu ouvia Jean Michel Jarre e Simon & Garfunkel seria como assinar um atestado de nerdismo. Nerd, eu?

Mesmo assim, nunca deixei de jogar videogames. Tive todos os consoles possíveis até o Super Nintendo. (Este legado continua vivo na figura do meu irmão. O rapaz vai ter um PS3, provavelmente). E nunca tive vergonha disso, muito pelo contrário. Anos de experiência sempre me garantiram competência em todo tipo de jogo. Era a minha droga, o lugar de minha afirmação durante boa parte da adolescência.

É óbvio que o ingresso numa faculdade, as mulheres, o álcool y otras cositas más me afastaram dos joysticks por um certo tempo. Como dizia um colega de classe da PUC, "eu jogava RPG, até que um dia eu descobri as mulheres". Meu lado nerd havia adormecido. Até que um dia...

Eu havia deixado a faculdade de Direito para fazer História pensando nas estrelas. E foi no meio desse caminho de volta que reapareceu a gloriosa Blizzard Entertainment, com o lançamento do Warcraft 3. Redescobri os tempos de Diablo, Warcraft 2 e Starcraft. Minha casa passou a ser uma lan house mambembe onde se reuniam pessoas da minha idade, nerds enrustidos como eu, para cantar loas ao mundo dos botões e da tela brilhante. As preocupações diárias estavam mais para montar estratégias e combinações de magias do que decifrar um texto de Michel Foucault. Me redescobri nerd, em todo o esplendor da palavra.

A Blizzard foi a culpada. Essa maldita empresa que lança um mísero jogo a cada dois ou três anos me tentou, ultimamente, com o World of Warcraft. Uma mensalidade em dólares e a possibilidade de perder a vida social me afastaram do WoW. Sei de pobres almas que vivem nessa Matrix com ares de medievo e só saem de lá para confraternizar com os amigos num churrasco. Embora ainda jogue uma ou outra partida de Warcraft 3, estou muito distante dessa dependência toda.

Mas eis que, no decorrer da vida, surgem coisas das quais é impossível desviar. Há pouco tempo, numa madrugada dessas, fui surpreendido por algo inimaginável, que acendeu em mim um brilho há tempos perdido e me faz dormir querendo despertar. A Blizzard vai produzir a sequência de Starcraft. Quero me perder, me lambuzar todo nesse Starcraft 2, me viciar, e por muito tempo. E quero o jogo inteiro, não me contento com versões demo.

Blizzard, eu te amo!

PS: Você, que é nerd, entre no Jovem Nerd e seja feliz. Há tempos, Alottoni e Azaghâl, o Anão, fazem a alegria do mundo nerd.

2 comentários:

vanessa disse...

Não vejo a hora de jogar Starcraft...Ctza que vai ser mais divertido que o WoW!!!

Muitas emoções...Realmente a Blizzard nos surpreende

vanessa disse...

Ah, esqueci...

BLIZZARD, EU TB TE AMO!



(precisava registrar isso)

De onde você vem?