28 de março de 2010

2 - Austrália (treino e corrida)

Em Melbourne, a largada costuma ser confusa. Não é, Ralf?


Ok, não tenho muito tempo, mas cá estão meus pitacos sobre esse fim de semana espetacular da Fórmula 1 em Melbourne.

No sábado, as três coisas mais importantes foram: a) a segunda pole do Vettel; b) os 0.7s que Massa engoliu do Alonso; e c) Schumacher ter diminuido a diferença entre ele e Rosberg para coisa de um décimo.

No domingo, a corrida, todos sabem, foi sensacional. Eu estava na torcida por Vettel que, sozinho, escapou, jogando a vitória e 25 pontos no lixo. O "menino Vettel" está lembrando muito a primeira parte da carreira do Senna. Tem um carro muito rápido na mão mas pouco confiável (ele colocou a culpa num problema de freio). É, aliás, um piloto muito rápido mas ainda pouco confiável (desconfio que tenha sido erro dele). Como Senna nos dois primeiros anos de Lotus. As poles vêm, mas os resultados finais não chegam na mesma proporção. É divertido torcer pra ele.

A Red Bull de Vettel terminou com um resultado desastroso para quem dominou a primeira fila nos treinos. Webber foi um dos que, lá atrás, criaram o espetáculo. Ultrapassou litros e, no final, estampou o coitado do Hamilton numa briga insana para ultrapassar Fernando Alonso. Acabou em nono.

Alonso, por sua vez, fez uma corridaça. Se envolveu num salseiro na primeira curva e caiu para último. Em pouco tempo, estava na briga e se aproximando do companheiro de equipe, que vinha fazendo uma corrida chocha, pra dizer o mínimo. No final, estava andando mais do que Massa, muito mais, mas resolveu não atacar para manter a política da boa vizinhança e acabou muito pressionado por Hamilton. Impressionante, o Alonso.

Mais impressionante ainda, no entanto, foi o Hamilton. Fazendo jus ao seu rótulo de showman, Lewis arriscou muito e pareceu andar acima do limite o tempo todo. Entre as incontáveis ultrapassagens, várias tentativas frustradas que o fizeram perder posições e atacar novamente. Não merecia ter saído no final.

Massa chegou em terceiro. Para o Galvão, foi um dos que fizeram uma corrida heroica. Heroica? Massa foi o Prost do dia - ou seja, não teve nada de heroi, mas trouxe resultado. Primeiro, contou com a sorte, algo que sempre beneficiou o rabudo e narigudo francês. Largou em quinto, mas após a primeira curva estava em segundo. Caiu para quinto, inexplicavelmente, nos boxes, e não conseguiu pressionar os que estavam à frente. Logo estava sendo pressionado por Alonso, que só não o atacou em deferência à equipe. Alonso teria conseguido pressionar Kubica e, talvez, chegar em segundo. Não tem nada de heroico na corrida do Massa. Andou como uma tartaruga conservadora e foi o mais beneficiado no resultado geral, pois se manteve em segundo no campeonato, ainda mais próximo de Alonso.

Enquanto Massa foi meio mais ou menos, os dois primeiros fizeram uma corridaça. Button deu um pulo do gato ao ser o primeiro a colocar slicks. Com a corrida já bem estragada por causa do acidente inicial com Alonso, arriscou. Geralmente, isso dá cagada. Pensei que ele tivesse se dado mal, pois já na primeira curva foi parar na área de escape. Mas depois começou a virar muito rápido e consistente. E, graças ao erro do Vettel, ganhou a corrida de presente.

Kubica foi simplesmente genial. Fez uma daquelas corridas em que ninguém consegue explicar como é que, com aquele carro, o sujeito conseguiu se manter lá na frente, num ritmo até aceitável. Todo mundo diz que ele é gênio. Nunca vi nada realmente excepcional ali, mas pode ser que estejam todos certos. Precisa ir para uma equipe grande, urgentemente.

Schumacher continua o calvário de readaptação. Ficou a corrida inteira atrás de Alguersuari, e chegou nos pontos apenas na última volta. Ele deve estar pensando nas motos, nas crianças, na Corina, e em porquê raios foi aceitar voltar pra essa pocilga altamente competitiva. Acho que ele pega o boné no fim do ano, agradecendo a todos pela brincadeira de ter voltado a sentar a bunda num F1, mas dizendo que prefere passar os fins de semana caindo de moto do que sofrer pra passar gente do naipe de Alguersuari e De la Rosa.

Enfim, uma corrida de verdade.

2 comentários:

carlos roberto disse...

Danilo,

Depois de rodar na frente de todos e cair pra último, o Alonso foi o melhor piloto da prova. Belissima recuperação.

Carlos Roberto

Danilo Albergaria disse...

Carlos, concordo com você. Mas o Kubica foi no mesmo nível que o espanhol.

De onde você vem?