11 de junho de 2007

Bush, o herói

Às vezes, é difícil compreender as manifestações populares. Uso o termo popular no sentido mais amplo e menos pejorativo possível, como manifestações coletivas de pessoas.

Enfim.

Ontem, George W. Bush foi acolhido como herói na Albânia. O "mensageiro de Deus" recebeu as boas-vindas de milhares de albaneses fantasiados de Tio Sam. Tudo por uma vaga na OTAN. Reminiscências da crise do Kosovo, em 1999.



Não poderia deixar passar a oportunidade de lembrar da chegada de Hitler a Viena, 1938. A anschluss estava completa. E o mundo, à beira do abismo.


Não me entendam mal. Não estou igualando Bush a Hitler. Seria muito para o pequeno George. Hitler tinha algo de magnético e grandioso, enquanto a direita norte-americana está representada por um medíocre playboy texano.

Um comentário:

Speeder_76 disse...

A comparação é um bocado fora do vulgar, mas... não deixa de haver paralelismos.

Já agora, li isto no jornal de hoje: um dos tipos que o cumprimentou, decidiu levar uma "recordação" com ele: o relógio de pulso! Contado, ninguém acredita...

De onde você vem?